domingo, 18 de junho de 2017

Um chá e uma conversa com Tone Finnanger....

Olá queridas!
Em Abril de 2014 Tone Finnanger concedeu uma entrevista a revista inglesa "Mollie Makes". Encontrei essa informação nas minhas buscas na Internet, mas como obter essa revista? Gentilmente, minha querida amiga Rosane Mortensen enviou-me as páginas que contém a entrevista!
Muito, muito obrigada Ro!
Fico muito feliz quando encontro essas coisas, porque de certa forma nos aproximam mais da criadora da marca que tanto nos encanta. Saber o que ela pensa, do que ela gosta, como é seu cotidiano, o que a inspira, como é seu processo criativo, enfim... é bem gostoso!!
Acabei de traduzir e agora compartilho com vocês aqui! O texto é longo... Espero que gostem!! 💋
Antes da entrevista, Mollie Makes nos dá um resumo...
"O começo do negócio da Tone é uma prova de que, se você tiver um sonho, é para você sair e fazer acontecer. A ideia Tilda surgiu enquanto ela estava trabalhando em meio período fazendo modelos para uma loja de artesanato. Sentindo-se confiante, ela se aproximou de uma editora e partiu de lá com dois contratos de livros no mesmo dia.
Em seguida, contatou Panduro Hobby, um dos maiores fornecedores de artesanato da Europa, e logo os dois primeiros produtos Tilda estavam entre a coleção de artesanato da Panduro.
Este foi o caminho iniciado em 1999 e, hoje, cerca de 150 novos produtos Tilda são lançados a cada ano.
É uma marca global com muitos seguidores, muitos blogs dedicados exclusivamente aos produtos e ideias Tilda e sobre a execução deles. Dos tecidos e artigos de madeira, papel e produtos para o lar, a extensa gama é distribuída em todo o mundo pela Panduro Hobby. A marca tornou-se um estilo de vida para Tone, que ainda é a única designer. Ela vive e trabalha em uma antiga casa de família em uma pequena ilha no fiorde de Oslo, que herdou os 24 anos. Aqui ela nos conta tudo sobre sua vida criativa..."

A entrevista
Caroline Rowland: Descreva seu estilo em poucas palavras.
Tone: Eu diria feminino, cômico e ingênuo.
Caroline Rowland: Quais livros e revistas estão atualmente em sua mesa de cabeceira?
Tone: Eu recebi recentemente uma Kindle, que eu amo. O último livro que li foi “The Thread”, de Victoria Hislop, e agora estou lendo um mistério sobre a Guerra Fria Russa. Quanto às revistas, “Mollie Makes”, é claro, “Marie Claire Idées”, “Country Living” e todo um conjunto de outras revistas de interiores.
Caroline Rowland: Nomeie seus três principais blogs criativos.
Tone: Não consigo separar ninguém, há muitos grandes blogs de artesanato ao redor do mundo e eu teria medo de esquecer alguém. A lista seria muito longa!
Caroline Rowland: Conte-nos sobre o seu espaço de trabalho - como você garante que ele continue a alimentar sua criatividade?
Tone: Meu estúdio está conectado à minha casa, então eu posso entrar facilmente se eu tiver uma ideia. Tem vista sobre o mar e algumas pequenas ilhas e, no verão, barcos - a maioria contendo pessoas que conheço – passam pela minha janela. Barcos de peixes no mar atraem muitos pássaros também. Há todos os tipos de criaturas emplumadas que fazem os sons mais maravilhosos. Além das aves que me fazem companhia, também tenho um assistente comigo alguns dias por semana, uma cacatua e uma daschund chamada Totto. Temos mesas grandes para trabalhar e áreas para computadores e costura, mas tendemos a mudar o mobiliário e a decoração, para fornecer inspirações e cenários para sessões de fotos. A mudança é importante para desencadear a criatividade, acho.
Caroline Rowland: Descreva um típico dia de trabalho.
Tone: A maioria dos meus dias é gasto na frente do meu computador, projetando estampas para os tecidos, bem como embalagens e design de livros. Eu gosto de projetar produtos e chegar aos conceitos para cada nova coleção. Alguns dias eu costuro modelos para meus livros e alguns dias planejamos sessões de fotos configurando adereços e cenários.
Caroline Rowland: Como o seu processo criativo funciona?
Você mantém livros de esboço ou usa recursos on-line?
Tone: Eu esboço muitas ideias sobre papel solto que muitas vezes me extraviam! Então, eu também envio minhas fotos pelo iPad enquanto estou assistindo TV ou cozinhando o jantar. Então, quando volto no meu computador, posso desenvolver as ideias ainda mais. Mas muitas vezes, minhas ideias na verdade não conduzem a qualquer coisa encontrada em minhas coleções. A coisa mais importante para o meu processo criativo é poder mergulhar no conceito em que estou trabalhando por um longo período de tempo sem distrações.
Caroline Rowland: Você começou seu negócio desde 1999. Como a tecnologia e as mídias sociais mudaram a forma como você trabalha?
Tone: Quando se trata de design, costumava ser principalmente ilustração a mão e você era dependente de especialistas para realizar seus projetos. Hoje, você pode fazer tudo sozinho devido à tecnologia disponível. No entanto, a quantidade de trabalho cresceu por produto, porque os fabricantes exigem estampas mais avançadas. Antes, você poderia dar-lhes um esboço e eles iriam cuidar do resto. A recompensa hoje é que você obtém resultados imediatos e há mais opções disponíveis para testar muitas combinações diferentes.
No que diz respeito às mídias sociais, acho que mudou drasticamente as possibilidades de designers como eu. Você pode trabalhar em qualquer lugar e ser notado. Uma presença on-line e canais de mídia social são muito importantes para uma marca internacional como Tilda, mesmo que eu não goste de participar pessoalmente. Estou mais interessada em Pinterest e mídia baseada em imagens.
Caroline Rowland: Nós adoramos trabalhar com sua gama de artesanato e armazená-la em nossa loja online. Qual seu material favorito para trabalhar?
Tone: Obrigada! Ah, é o tecido. É um material maravilhoso e duradouro com o qual você pode fazer algo que existe através de gerações. Trabalhar com ele é tão emocionante.
Caroline Rowland: Seus padrões e produtos inspiram muitos crafters, mas existe alguém ou algo particular que a inspire?
Tone: Há tanto que me inspira; Adoro livros e filmes. Fui muito inspirada por autores infantis como Jill Barklem e Elsa Beskow. Eu também estou fascinada por filmes de efeitos especiais. Mas minha paixão é por casas e interiores e sou muito inspirada por isso no meu trabalho.
Caroline Rowland: Onde você gosta de procurar inspiração criativa?
Tone: Muitas vezes minhas buscas no Google incluem a palavra "vintage"; Eu me inspiro com imagens e padrões vintage. Além da Internet, eu recebo muitas inspirações de memórias e sentimentos - como o padrão nas cortinas da cozinha na casa de minha avó e as emoções que a memória evoca em mim. Eu vejo algo que desencadeia uma memória ou um sentimento, então é algo que eu quero recriar.
Caroline Rowland: O que você mais gosta de administrar em seu próprio negócio?
Tone: Eu gosto da liberdade que me dá para criar o que eu quero com base em meus próprios conceitos, e como eu posso trabalhar quando a inspiração chega, ao invés de trabalhar com horário fixo.
Caroline Rowland: Finalmente, qual é o melhor conselho criativo que você recebeu?
Tone: Eu sou autodidata na disciplina em que acabei trabalhando, mas foi a minha avó, uma artista têxtil, que me ensinou a amar o tecido. Ela não tinha fronteiras e muitas vezes fazia suas pinturas têxteis de maneiras incomuns. Eu acho que me ensinou a pensar fora da caixa ao encontrar soluções, o que eu acho muito importante no meu trabalho diário."
Eu amei saber um pouco mais sobre a vida e o processo criativo de Tone Finnanger! E vocês?
Esta é a capa da revista Mollie Makes, edição 39, de 11/04/2014.

Beijinho
Ju

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita e volte sempre!